André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Temer tem encontro fora da agenda com Raquel Dodge

Futura procuradora-geral da República foi recebida à noite no Jaburu, no mesmo dia em que a defesa do presidente pediu suspeição de Janot; Planalto diz que Raquel pediu e marcaram posse para 18 de setembro

Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

09 Agosto 2017 | 08h55

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer (PMDB) recebeu na noite de terça-feira, 8, no Palácio do Jaburu, a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, em encontro marcado fora da agenda oficial. Raquel chegou por volta das 22 horas, em seu carro oficial. A assessoria do Planalto confirmou o encontro, gravado por um cinegrafista da "TV Globo", e disse que Temer atendeu ao pedido de Raquel para conversar sobre a sua posse no cargo, que será realizada no dia 18 de setembro, um dia depois do encerramento do mandato do seu algoz, o atual procurador, Rodrigo Janot.

"O presidente indagava sobre a data e horário possível para a minha posse, pois precisa viajar para os EUA no dia 18 de setembro, segunda-feira, para fazer a abertura da Assembleia Geral da ONU no dia 19. O mandato do PGR termina no dia 17, domingo", disse Raquel. 

O encontro de Temer e Dodge foi realizado no mesmo dia em que o presidente pediu ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato e do caso JBS no Supremo Tribunal Federal, a suspeição – e impedimento – do  atual procurador-geral, por meio de seu advogado, o criminalista Antônio Claudio Mariz de Oliveira. Na ação, Temer alega que "já se tornou público e notório que a atuação do procurador-geral da República, em casos envolvendo o presidente da República, vem extrapolando em muito os seus limites constitucionais e legais inerentes ao cargo que ocupa". Em entrevista ao Estado, na semana Temer também fez duras criticas a Janot e disse que as mudanças na Procuradoria-Geral da República "darão o rumo correto à Lava Jato", explicando que "o rumo certo é o cumprimento da lei". 

Neste momento, Janot ameaça dar entrada em uma nova denúncia contra Temer por obstrução de justiça e formação de quadrilha. A ação arquivada pela Câmara na semana passada, foi por acusação de corrupção passiva. Temer diz que as acusações são infundadas e ineptas.

O recebimento para uma conversa do ex-presidente da JBS, Joesley Batista, fora de agenda, depois das 22 horas, no Jaburu, fora da agenda, foi exatamente o motivo da maior crise política enfrentada pelo presidente da Republica, que levou a tentativa de abertura de processo contra ele no STF, derrubada na semana passada pela Cãmara. Neste encontro,  Joesley Batista gravou Temer e a conversa foi o objeto da ação.

Temer estava em São Paulo durante toda esta terça-feira, 8. Chegou a Brasília por volta das 18 horas, despachou no Planalto até às 21h25, seguindo para o Jaburu. O presidente embarca daqui a pouco para o Rio de Janeiro, onde participa da solenidade de abertura do Encontro Nacional de Comércio Exterior.

Raquel Dodge foi indicada por Temer para substituir Janot em 28 de junho, e em 12 de julho, seu nome foi aprovado para comandar o Ministério Público Federal pelo Senado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.