Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Temer sonda Picciani para Ministério do Esporte e deputado sinaliza que aceitaria

Marco Antônio Cabral, que tinha a preferência, enfrenta resistência na bancada do PMDB

Igor Gadelha, O Estado de S. Paulo

06 de maio de 2016 | 12h56

O vice-presidente Michel Temer sondou o líder do PMDB na Câmara, deputado Leonardo Picciani (RJ), para comandar o Ministério do Esporte em seu eventual governo. Segundo interlocutores do parlamentar, ele sinalizou a Temer que aceitaria a tarefa. A indicação, contudo, ainda não foi fechada. 

Temer separou o Ministro do Esporte como cota do PMDB do Rio de Janeiro. A negociação foi feita entre o vice e o deputado estadual Jorge Picciani, presidente da Assembleia Legislativa do Estado e pai do líder do PMDB na Câmara. A ideia inicial era indicar o deputado federal licenciado Marco Antônio Cabral para o cargo.

Filho do ex-governador do Rio Sérgio Cabral, o nome de Marco Antonio enfrentou resistência entre alguns membros da bancada do PMDB na Câmara, por ele ser "muito novo". Atualmente, Marco Antônio está licenciado do mandato parlamentar, pois ocupa o cargo de Secretário do Esporte no governo do Estado do Rio. 

Ao dar a Pasta do Esporte para Picciani, Temer consegue atender, ao mesmo tempo, à cúpula do PMDB do Rio e à bancada do partido na Câmara dos Deputados, liderada por Picciani. Os deputados reclamaram bastante após Temer oferecer o comando do Ministério da Saúde ao PP. A bancada queria ficar com a Pasta. 

Antes de o nome de Picciani começar a ser ventilado, a bancada afirmava que o Ministério do Esporte era apenas da cota do PMDB do Rio. Para acalmar os deputados, Temer ofereceu para bancada o comando do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e da Secretaria da Aviação Civil, a qual o vice ainda avalia se manterá ou não o atual status de ministério.

Para o MDS, Temer já articulou com a bancada a indicação do deputado federal Osmar Terra (RS). O parlamentar gaúcho faz parte da ala do PMDB que articulou o impeachment e apoiou o deputado Hugo Motta (PB) como adversário de Picciani na última disputa pela liderança do PMDB na Câmara. Para a Aviação Civil, o nome ainda não foi fechado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.