Temer seria a opção mais forte para substituir Jobim

Apesar de a presidente Dilma Rousseff ter neste momento uma lista de nomes cotados para substituir na Defesa o ministro Nelson Jobim, o preferido no momento é o do vice, Michel Temer, segundo fontes. A solução mais imediata é botar Temer para acumular a função de vice com a de ministro da Defesa.

EQUIPE AE, Agência Estado

04 de agosto de 2011 | 18h42

Se Temer não aceitar a missão, a tendência é procurar um nome mais técnico. No caso de Temer, sobressai mais a condição de vice-presidente da República do que de ex-presidente do PMDB. Além disso, ele não pode ser demitido porque foi eleito vice na chapa de Dilma.

Se Temer for mesmo efetivado na Defesa, o governo Dilma repetiria sete anos depois a solução adotada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva quando teve de demitir do ministério o embaixador José Viegas.

O então vice-presidente José Alencar acumulou a Defesa de novembro de 2004 a março de 2006. Depois de Alencar, assumiu Waldir Pires, que teve de comandar a pasta em plena crise do caos aéreo brasileiro. Jobim assumiu em junho de 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
ministérioDefesademissãoJobimDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.