Temer rejeita terceiro nome e defende candidatura única

O presidente do PMDB, Michel Temer (SP), disse nessa segunda-feira que apenas Aldo Rebelo (PCdoB-SP) ou Arlindo Chinaglia (PT-SP) devem disputar a presidência da Câmara, evitando o lançamento de um terceiro nome, mesmo que seja também da base aliada. "Não sei qual dos candidatos está em melhor posição, nem mesmo entre os deputados do PMDB, mas penso que o melhor para a Câmara é que apenas um deles seja candidato, expressando a maioria de todos os partidos, do governo e da oposição", disse Temer à Reuters. O apelo de Temer à unidade vem no mesmo dia em que um grupo de deputados, na maioria de oposição, reuniu-se em São Paulo para discutir o lançamento de um candidato de "terceira via". Um dos nomes considerados pelo grupo é o peemedebista Osmar Serraglio (PR). Temer admitiu que um terceiro nome da base do governo poderia servir como candidato "de unidade", mas insistiu que as opções no momento são o atual presidente da Câmara e o líder do governo. "O ideal é que os dois candidatos cheguem a um acordo, porque isso seria bom para a imagem do Legislativo como um todo, não só para a base do governo", disse o peemedebista. Temer confirmou que a bancada do PMDB - que será a maior da Câmara a partir de fevereiro - reúne-se nessa terça para tomar uma posição. Embora políticos ligados a Chinaglia afirmem que o petista teria o apoio de até 80% dos 69 eleitores do PMDB, Temer não confirmou a previsão. "Ouço informações em todos os sentidos. Antes de ouvir a bancada, não seria prudente dizer se a tendência majoritária é por Aldo, por Arlindo ou mesmo por um nome do próprio PMDB", afirmou. Michel Temer é um dos dez presidentes de partidos da coalizão a ser consultado pelo ministro das Relações Institucionais, Tarso Genro, sobre as tendências para a eleição na Câmara. A assessoria do ministro informou que as consultas serão individuais e começam nesta segunda, às 17 horas, pelo presidente do PCdoB, Renato Rabelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.