Temer rejeita ministério e mantém candidatura no PMDB

O presidente nacional do PMDB, deputado Michel Temer (SP), foi sondado pelo Planalto nesta quinta-feira, 28, a aceitar um ministério em troca de sua saída da disputa pela reeleição do comando do partido, dando a vitória ao adversário Nelson Jobim. Segundo informação de um dirigente do PMDB, o ministro de Relações Institucionais, Tarso Genro, responsável pela articulação política do governo, telefonou para Temer para oferecer o cargo de ministro da Previdência Social, proposta que foi rejeitada, ainda de acordo com o dirigente peemedebista.A Tarso, Temer voltou a afirmar sua intenção de manter a candidatura contra Jobim, que tem o apoio do PMDB no Senado e a simpatia do Palácio do Planalto. Temer disse ao ministro que sua eventual desistência da candidatura prejudicaria a imagem do partido e o deixaria mal perante a bancada, que deseja vê-lo candidato. Ele assegurou ainda que conta com votos para vencer a disputa. Temer recebeu nesta quinta a adesão do Diretório do PMDB do Ceará, comandado pelo ex-ministro e deputado Eunício Oliveira, com quem o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), vinha contando como apoio certo a Jobim. "Com o apoio do Ceará, a eleição se define. Eu levo pelo menos 48 votos para o Michel", previu Eunício Oliveira.O prazo para o governo tentar um acordo entre os dois peemedebistas e evitar a disputa está se esgotando, pois a chapa com os nomes dos candidatos a integrar o Diretório Nacional do PMDB terá que ser publicada no Diário Oficial da União até sexta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.