REUTERS/Adriano Machado
REUTERS/Adriano Machado

Temer recebeu 19 deputados pela manhã e deve fazer pronunciamento após votação

Presidente acompanha sessão que vota denúncia e está em contato direto com Congresso

Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2017 | 14h12

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer recebeu, conforme atualização de agenda oficial divulgada há pouco, 19 parlamentares nas reuniões desta quarta-feira de manhã. Agora à tarde, não há compromissos marcados, mas auxiliares dizem que Temer acompanha a sessão e está em contato direto com o Congresso. Caso a denuncia seja derrubada mesmo nesta quarta-feira, o presidente deve fazer um pronunciamento à nação destacando ações de futuro do governo.

O primeiro deputado a ser recebido pelo presidente foi Fábio Faria (PSD/RN), que participou da agenda com o ministro Gilberto Kassab (Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações) e com o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria.

Na agenda com o deputado Zé Silva, que contou com a presença dos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil); Henrique Meirelles (Fazenda) e Dyogo Oliveira (Planejamento), o deputado André Moura (PSC/SE), líder do governo no Congresso Nacional, também esteve presente.

Às 11h30, Temer recebeu um grupo de deputados: João Carlos Bacelar (PR/BA), Alfredo Kaefer (PSL/PR), Felix Mendonça (PDT/BA), Leonardo Quintão (PMDB/MG), Newton Cardoso (PMDB/MG), Nilton Capixaba (PDT/RO) e Renato Andrade (PP/MG).

Na sequencia, o presidente teve um segundo grupo de parlamentares, desta vez, de deputadas mulheres: Brunny (PR/MG), Elcione Barbalho (PMDB/PA), Gorete Pereira (PR/CE), Iracema Portela (PP/PI), Magda Mofatto (PR/GO), Maria Helena (PSB/RR), Simone Morgado (PMDB/PA), Soraya Santos (PMDB) e Raquel Muniz (PSD/MG).

Às 11h30 estava prevista uma agenda com o deputado Jaime Martins (PSD/MG), que também foi incluído na agenda de ontem e depois retirado. Mais uma vez, a reunião, com o deputado que já se declarou a favor da denuncia, não foi realizada. O Planalto diz que a agenda muda conforme a disponibilidade do presidente e que ele atende ao máximo de pedidos de audiência possíveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.