ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO
ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO

Temer rebate Marina e diz estar preocupado com ‘desconhecimento institucional’ de ex-ministra

No domingo, a ex-presidenciável afirmou ser contra o impeachment de Dilma porque teme chegada do vice ao poder; segundo ela, PMDB quer travar investigações da Lava Jato

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2016 | 16h32

BRASÍLIA - O vice-presidente Michel Temer rebateu nesta segunda-feira, 18, as declarações da ex-ministra Marina Silva sobre uma eventual interferência dele nos rumos da Operação Lava Jato caso haja o impeachment da presidente Dilma Rousseff e o peemedebista assuma o poder.

"Fico preocupado com essa manifestação de desconhecimento institucional por uma pessoa que foi candidata a presidente da República por duas vezes. Nenhum presidente tem poder de ingerência nos assuntos de outro Poder”, disse Temer em nota ao Estado.

O vice afirmou ainda que o Judiciário brasileiro e demais órgãos ligados a ele são independentes e que essa é uma premissa garantida pela Constituição de 1988.  “É gravíssimo que a uma figura pública tente desprestigiar os poderes soberanos do Estado”, afirmou.

No domingo, após uma reunião da executiva da Rede Sustentabilidade em Brasília, Marina afirmou que o impeachment poderia causar uma paralisação nas investigações da Lava Jato, pois poderia passar a impressão de que "o problema foi resolvido".

Integrantes da Rede também afirmaram reservadamente que um dos motivos para o partido ser contra o afastamento de Dilma é o temor de que isso possa enfraquecer a operação, já que nomes importantes do PMDB estão sendo investigados como beneficiários do esquema de corrupção na Petrobrás.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.