Temer quer que se espere fim de férias de diretor

Vice-presidente foi a primeira autoridade do Planalto a expor publicamente sua posição sobre o caso Pagot

Leonencio Nossa e Tânia Monteiro, de O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2011 | 23h00

BRASÍLIA - O vice-presidente Michel Temer (PMDB) saiu na quarta-feira, 13, em defesa de Luiz Antonio Pagot, diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), incluído na lista de demitidos por irregularidades no setor. Em rápida conversa com jornalistas, Temer defendeu a ideia de que a presidente Dilma Rousseff espere os desdobramentos da crise para tomar uma decisão sobre a permanência ou não de Pagot no cargo. "É preciso esperar o fim das férias (dele)", afirmou.

 

Oficialmente, Pagot está em férias até o fim deste mês. Um grupo de auxiliares de Dilma aposta que, até a volta prevista do diretor do Dnit ao trabalho, a crise no setor dos transportes tenha esfriado.

 

Hoje, não há clima político para o retorno dele à função, observam assessores do governo. No Planalto, há outro grupo que avalia que a permanência de Pagot traria prejuízo político para Dilma. Essa corrente diz que o retorno do diretor do Dnit obrigaria o governo a anular as demais demissões no setor de transportes por suspeitas de irregularidades.

 

Michel Temer foi a primeira autoridade do Planalto a expor publicamente sua posição sobre o caso Pagot.

 

Um dia depois de sofrer ameaças de líderes do PR, o Planalto comemorou ontem a costura com o partido que "acalmou" os aliados, revoltados com a demissão de representantes do PR. A negociação liderada pela ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, teria resultado também no esfriamento do depoimento de Pagot no Senado e na Câmara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.