Temer quer punir peemedebista que aceitar cargo no governo

O presidente nacional do PMDB, Michel Temer, afirmou hoje que os peemedebistas que aceitarem cargos no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverão deixar o partido. "Não haverá hipótese de licença, porque isso parecerá uma coisa farsante. Ou ele fica no partido, obedecendo as diretrizes do partido ou não fica", afirmou. Temer garantiu que levará essa posição à convenção nacional do partido, prevista para 12 de dezembro. "Espero que a convenção determine, e vou fazer força para isso, para que o partido tenha caminho próprio, não aceite cargos no governo, porém, garanta a governabilidade."Temer participou hoje na Capital, ao lado do governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto (PMDB), de um almoço na Associação Comercial de São Paulo. O almoço foi promovido com os associados para a discussão da reforma tributária. O governador também defendeu a autonomia de seu partido. "Pode-se apoiar bons projetos sem estar pendurado em cargos, sem necessidade de favores do governo. Enquanto discutirmos espaço maior ou menor, o partido ficará descaracterizado, sem identidade", defendeu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.