Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

Temer pretende separar Ministério do Trabalho e Previdência Social em eventual governo

Solidariedade deve assumir Trabalho; PRB ou PSD podem ficar com Previdência Social

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2016 | 19h45

Brasília - O vice-presidente Michel Temer pretende separar o atual Ministério do Trabalho e Previdência Social em duas Pastas, em seu eventual governo, caso a presidente Dilma Rousseff seja afastada. De acordo com interlocutores do peemedebista, Temer entende que a Previdência Social é uma Pasta "muito importante" para estar agregada a outra área.

Na visão do vice, a divisão também facilitaria a possível reforma previdenciária. Além disso, a divisão abriria espaço para contemplar mais partidos no futuro governo. O Ministério do Trabalho poderia ir para o Solidariedade e a Previdência Social, para o PRB ou PSD.

A cúpula do Solidariedade, que é ligada à Força Sindical, já trabalha com dois nomes para a Pasta: os deputados Zé Silva (MG) e Augusto Coutinho (PE). O presidente da sigla, deputado Paulinho da Força (SP), não tem interesse em ocupar o cargo.

Já o comando da Previdência Social ainda estaria mais incerto. Emissários de Temer ofereceram o comando da Pasta para o PRB, em troca de o partido desistir da ideia de exigir o Ministério da Agricultura para se manter na base aliada.

No entanto, como mostrou nesta quinta-feira o Broadcast Político, serviço em tempo real da Agência Estado, o presidente do PRB, Marcos Pereira, recusou a oferta. Alegou que a Pasta traria desgaste, em razão da reforma da Previdência que Temer já sinalizou que pretende fazer.

Outro nome cotado é o de Roberto Brant, ligado ao PSD. Ex-ministro da Previdência Social do governo Fernando Henrique Cardoso, Brant ajudou Temer a coordenar o programa para a área.

Fusão. Os ministérios do Trabalho e Previdência Social foram fundidos em outubro, durante reforma ministerial feita pela presidente Dilma Rousseff. Até então, eram duas Pastas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.