Temer nega que denúncias partiram do PT e do PMDB

O presidente em exercício, Michel Temer, afirmou que não se pode fazer pré-julgamentos a respeito das denúncias de irregularidades envolvendo contratos com organizações não governamentais feitas pelo Ministério dos Esportes. Temer refutou as insinuações feitas por integrantes do PC do B, de que as denúncias partiram do PT e do PMDB para enfraquecer interessados no Ministério dos Esportes, que ganha força com a proximidade das Olimpíadas e Copa do Mundo.

CLARISSA THOMÉ, Agência Estado

19 de outubro de 2011 | 16h29

"Isso é integralmente falso. Não há nenhuma mobilização político partidária para enfraquecer o ministro. Se houvesse, certamente teria chegado aos meus ouvidos", afirmou Temer, que participou, no Rio de Janeiro, da abertura da conferência da Organização Mundial de Saúde (OMS), sobre determinantes sociais da saúde, em Copacabana.

Sobre a votação no Senado da proposta de divisão dos royalties do petróleo, prevista inicialmente para hoje, Temer disse que ainda há tempo para negociação para "não prejudicar o Rio de Janeiro e Estados produtores". A proposta do senador Vital do Rêgo (PMDB) prejudica Rio e Espírito Santo, Estados produtores.

Temer disse que a União já abriu mão da parte a que tinha direito e é preciso que os outros envolvidos também negociem. "É melhor discutir até chegar a um acordo do que o tema parar no Judiciário".

Tudo o que sabemos sobre:
Orlando SilvaTemerEsportes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.