Reprodução|TV Globo
Reprodução|TV Globo

Temer manda suspender patrocínio de evento de blogueiros ligados ao governo Dilma

Organizadores do encontro dizem não ter sido notificados e asseguram realização do evento; presença da presidente afastada está confirmada

Erich Decat, Carla Araújo e Murilo Rodrigues Alves, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2016 | 21h10

Brasília - O presidente em exercício Michel Temer determinou nesta quinta-feira, 19, a suspensão do pagamento de patrocínio de empresas estatais previsto para ser efetuado em evento de "blogueiros progressistas" ligados ao governo da presidente Dilma Rousseff.

Segundo assessores do Palácio do Planalto, o alvo da ação é o encontro 5º Encontro Nacional de Blogueiros e Ativistas Digitais, previsto para ser realizado entre os dias 20 e 22 de maio, em Belo Horizonte (MG). A previsão era de que a Caixa Econômica Federal destinasse cerca de R$ 100 mil ao evento.

Na programação do encontro, entre os temas de discussão propostos, está o "ato político em defesa da democracia e contra o golpismo midiático" e "as forças políticas e a democratização da comunicação".

Segundo o Estado apurou, além deste evento, integrantes do governo Temer também deverão reavaliar o desembolso previsto para ser efetuado por estatais em outros realizados por setores favoráveis ao governo Dilma.

As medidas ocorrem em meio à solicitação por parte do Palácio do Planalto para que os ministérios enviem os planos de comunicação para uma análise para se tomar o conhecimento de como, quanto e onde estão sendo aplicados os recursos da comunicação e publicidade do governo.

Na nova gestão, a tendência é de que o Blog do Planalto utilizado para acompanhar os eventos, atos e agendas da presidente Dilma, também seja extinto.

Outro lado. Os organizadores do encontro informaram que não foram notificados da decisão tomada pelo governo em exercício de Michel Temer de mandar suspender o patrocínio de R$ 100 mil concedido ao evento. Segundo Altamiro Borges, um dos membros da Comissão Nacional de Blogueiros e Ativistas digitais, o evento não será impactado pela decisão de Temer. “Está tudo certo, o encontro vai ocorrer normalmente”, disse.

A presidente afastada Dilma Rousseff vai participar da abertura e o encontro deve ter um ato de defesa do mandato da petista. Borges disse que caso a Caixa acate a decisão a organização do evento vai processar o banco. “Se cancelarem vamos processar o banco por quebra de contrato”, disse. Como é praxe, os pagamentos de patrocínios firmados acontecem sempre após o evento.

O Estado apurou que o departamento jurídico da Caixa ainda tenta encontrar uma solução já que o contrato já foi assinado. Procurada, a Caixa disse que não vai comentar.

Apoio. A decisão de participar do evento foi tomada “no bunker” que Dilma montou no Palácio da Alvorada, após ser afastada pelo processo de impeachment. Dilma deve chegar a capital mineira por volta das 20 horas. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também foi convidado para o evento, mas não deve comparecer.

Faz parte da estratégia da petista também fazer viagens pelo país para “denunciar” que o processo de impeachment é “golpe”. Em abril, Dilma concedeu uma entrevista a blogueiros no Palácio do Planalto e afirmou que lutaria em todos os níveis contra o que classificou como "eleição indireta transvestida de impeachment".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.