André Dusek | Estadão
André Dusek | Estadão

Temer manda AGU recorrer ao STF para retomar comando da EBC

Recurso pede retorno de Laerte Rímoli  para o comando da empresao, que foi substituído pelo também jornalista Ricardo Melo, anteriormente nomeado por Dilma para quatro anos de mandato

Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2016 | 00h03

Brasília – Em mais uma queda de braço entre o governo do presidente em exercício Michel Temer e a presidente afastada Dilma Rousseff, a Advocacia-Geral da União deu entrada, na semana passada, no Supremo Tribunal Federal com um recurso pedindo o retorno do jornalista Laerte Rímoli  para o comando da Empresa Brasil de Comunicação (EBC)  Rímoli substituiu o também jornalista Ricardo Melo, no dia 17 de maio, nomeado por Dilma, para quatro anos de mandato, dias antes de a presidente ser afastada pelo Senado. Por considerar a sua demissão “ilegítima”, Melo entrou na Justiça pedindo sua volta ao cargo. No dia 2 de junho, o ministro do STF Dias Tofoli concedeu liminar permitindo a volta de Melo, criando um duplo comando na empresa. Em sua justificativa, a AGU diz que Temer não cometeu qualquer tipo de ilegalidade ao afastar Melo.

No fim de semana o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, defendeu a extinção da EBC, alegando que a empresa se transformou num "cabide de emprego" e "foco de militância". O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, por sua vez, defendeu “ampla reforma” na empresa e informou que determinou um pente-fino para avaliação da situação real dela.

As declarações dos ministros foram recebidas com “surpresa” na EBC e provocaram reação dos servidores. O representante dos empregados no Conselho de administração da empresa, Edvaldo Cuaio, rechaçou a intenção do governo interino de acabar com a EBC. Cuaio, que reconhece que a empresa, no último ano, foi usada "fora da sua finalidade" e como "cabide" de empregos, declarou que os empregados não aceitam que a empresa seja usada como "massa de manobra" do governo em exercício. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.