Temer e Renan criticam greve de fome de Garotinho

O presidente nacional do PMDB, deputado Michel Temer (SP), e o presidente do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), criticaram, nesta terça-feira, a greve de fome iniciada pelo pré-candidato peemedebista à Presidência da República, Anthony Garotinho, em protesto contra as denúncias de que estaria envolvido em irregularidades.Temer, mesmo sendo partidário de uma candidatura própria do PMDB à Presidência, fez questão de dizer que a atitude de Garotinho "não ajuda e nada tem a ver com o partido." Renan, que lidera a ala governista do PMDB, foi mais enfático na crítica e afirmou que é uma "falta de maturidade absoluta alguém que se coloca como candidato a presidente fazer greve de fome".Segundo Renan, "é um péssimo precedente". O senador disse que entregará a Temer, nas próximas 24 horas, um requerimento de convocação da Convenção Nacional do PMDB para 13 de maio, quando será decidido se o partido terá ou não candidato próprio.A decisão oficial só pode ser tomada de 10 de junho a 30 de junho, segundo a legislação eleitoral, mas Temer admite que a decisão política do partido pode ser antecipada para 13 de maio. O presidente do PMDB sugere a Garotinho que aceite a oferta feita por emissoras de rádio e televisão e venha a público esclarecer as denúncias que o envolvem em irregularidades.Se as denúncias desqualificam Garotinho como candidato, Temer disse: "É claro que isso não ajuda e não facilita a vida de ninguém, mas quem vai decidir é o eleitorado. Denúncias vêm sendo levantadas desde o ano passado", numa referência velada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.Embora Renan Calheiros tenha garantido que dispõe de número suficiente para apresentar à Executiva Nacional um requerimento de convocação da convenção nacional e para aprová-lo na direção partidária, Temer se declarou preocupado com a falta de tempo.Lembrou que o estatuto partidário exige, no mínimo, oito dias corridos entre a convocação e a realização da convenção e afirmou que este prazo é muito curto para organizar a reunião e trazer convencionais de todo o País a Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.