Temer é avaliado como ruim ou péssimo por 51%, diz pesquisa

Levantamento do Datafolha também mostra que 63% se dizem a favor de renúncia do presidente até o fim do ano para que sejam convocadas eleições diretas

O Estado de S.Paulo

11 Dezembro 2016 | 10h59

A parcela dos brasileiros que considera o governo Michel Temer ruim ou péssimo saltou de 31% para 51% de julho para dezembro. Segundo pesquisa Datafolha, 34% consideram a atual gestão regular e 10%, boa ou ótima. Em julho, quando ainda era interino no cargo, Temer era avaliado como regular por 42% e como ótimo ou bom por 14% dos entrevistados pelo instituto.


A falta de expectativas com a melhora da economia é a principal explicação para a piora na percepção do atual governo. Em julho 30% achavam que a situação econômica do País iria piorar - hoje são 41%. Já os que achavam que iria melhorar eram 38% em julho e são 28% agora.


Segundo a pesquisa, 63% se disseram favoráveis à renúncia de Temer ainda este ano para a convocação de novas eleições diretas antes de 2018. Outros 27% se disseram contra a renúncia do atual presidente, 6% se disseram indiferentes e 3% não souberam responder. Em julho, o instituto havia perguntado se os entrevistados eram a favor ou contra Dilma e Temer renunciarem para a convocação de eleição direta. Na ocasião, 62% foram a favor, 30%, contra, 4% não souberam e 4% foram indiferentes. 


Quando o presidente renuncia nos primeiros dois anos do mandato - ou até dia 31 de dezembro, neste caso -, são convocadas novas eleições num prazo de 90 dias. Se isso acontece nos últimos dois anos, a eleição é indireta, ou seja, o novo presidente é escolhido pelo Congresso em até 30 dias.


O Datafolha ouviu 2.828 pessoas em 174 cidades brasileiras nos dias 7 e 8 de dezembro. Antes, portanto, do vazamento das informações da delação do ex-executivo da Odebrecht Cláudio Melo Filho, nesta sexta, 9. A margem de erro do levantamento é de 2 pontos porcentuais. 


Comparação. O instituto também pediu para os entrevistados compararem as gestões Temer e Dilma. Para 21%, o atual presidente é melhor do que a antecessora. Para 34%, é igual e, para 40%, pior do que o governo anterior. Segundo avaliação pessoal de temer, 65% o acham falso, 58%, desonesto, 75% acreditam que ele defende os mais ricos e 63% o consideram muito inteligente.

Mais conteúdo sobre:
Michel TemerDatafolha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.