Temer diz ser impossível desmarcar convenção do PMDB

O presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP), está inflexível na decisão de manter a convenção nacional extraordinária do partido, marcada para o dia 12, atendendo a pedido de 11 diretórios estaduais. Apesar das tentativas do grupo governista do partido de selar um acordo com ele para adiar a convenção, o deputado considera que isso seria desastroso. "Não tem como adiar a convenção, e isso independe da minha vontade, já que há um pedido de 11 diretórios estaduais, e seria desastroso para o PMDB tomar outra atitude, no momento", afirmou o presidente do PMDB.Ontem à noite, os líderes do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), e na Câmara, José Borba (PR), ainda insistiram em reunião com Temer, mas não tiveram êxito. O deputado informou que, até agora, não recebeu nenhum pedido do grupo governista para realizar, amanhã, uma reunião da executiva nacional com objetivo de desmarcar a convenção. Ele, no entanto, já adiantou que a executiva não tem poderes para adiar ou cancelar a convenção solicitada pelos diretórios estaduais. "Nós podemos, até, desmarcar uma convenção convocada pela executiva", argumentou ele. "Mas as dos diretórios, não. É impossível". O presidente do PMDB almoça hoje com o governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz, e outros integrantes da ala que defende a independência do partido em relação ao governo e a entrega dos cargos que o partido ocupa no Executivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.