Reuters/Adriano Machado
Reuters/Adriano Machado

Temer diz a jornal que está 'preparadíssimo' para vaias na abertura da Olimpíada

Em entrevista a 'Zero Hora', o presidente em exercício citou até Nelson Rodrigues para amenizar possível reação negativa do público: 'No Maracanã, se vaia até minuto de silêncio'

Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2016 | 16h23

BRASÍLIA - O presidente em exercício, Michel Temer, afirmou, em uma entrevista exclusiva ao jornal Zero Hora, que não se preocupa com possíveis vaias em sua participação como atual chefe de Estado na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, no próximo dia 5, no Rio de Janeiro.  "Estou preparadíssimo para as vaias. No Maracanã (estádio onde será a cerimônia), como dizia o Nelson Rodrigues, se vaia até minuto de silêncio. Estou preparadíssimo, não tenho a menor dúvida disso. E tenho de cumprir esse dever institucional", afirmou.

Na entrevista, Temer comentou ainda sobre a ausência da presidente afastada Dilma Rousseff, que decidiu não "ficar em posição secundária", e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que afirmou não ver clima político para a sua participação. "Eu soube que os ex-presidentes nem vão. A brincadeira é que eles estão reservando as vaias só para o presidente", disse ao jornal. 

Caberá a Temer como atual presidente do país fazer a fala protocolar de abertura dos Jogos. Segundo interlocutores, Temer vai se ater ao discurso já pré-formatado pelo Comitê Olímpico Internacional. No próximo sábado, 30, o presidente em exercício irá ao Rio de Janeiro para a inauguração da linha 4 do metrô e depois deve fazer uma visita de cortesia ao governador licenciado, Luiz Fernando Pezão, que está em tratamento contra um câncer. Temer chegou a cogitar ir a uma cerimônia de recepção aos atletas brasileiros no domingo, 31, mas a decisão do momento é que ele não participará. 

Na entrevista ao jornal gaúcho, o presidente em exercício disse ainda que está confiante de que as forças de segurança nacional estão preparadas para evitar possíveis ataques terroristas e reforçou a crença de que os Jogos Olímpicos serão um sucesso. "Antes dos jogos mundiais (Copa do Mundo), também havia a mesma preocupação, e foi um sucesso. Espero que na Olimpíada aconteça o mesmo", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.