Reuters
Reuters

Temer determina paralisação de nomeações para diretorias ou presidências de estatais

intenção, segundo o governo, é acabar com a ingerência política nas instituições; Medida vale até a aprovação do projeto de lei complementar 268/2016, que tramita na Câmara

Carla Araújo, Eduardo Rodrigues, Idiana Tomazelli e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

06 Junho 2016 | 16h41

BRASÍLIA - O presidente em exercício Michel Temer afirmou nesta segunda-feira, 6, que determinou a paralisação de nomeações para diretorias ou presidência de estatais ou fundos de pensão. A medida vale até a aprovação do projeto de lei complementar 268/2016, que prevê indicação apenas de pessoas "com alta qualificação técnica" para estes cargos.

A intenção, segundo o governo, é acabar com a ingerência política nas instituições. O projeto já foi aprovado pelo Senado e agora tramita na Câmara dos Deputados.

"Mandamos hoje paralisar toda e qualquer nomeação ou designação para diretoria ou presidência de estatal ou fundo de pensão enquanto não for aprovado o projeto que está na Câmara dos Deputados, já tendo sido aprovado pelo Senado Federal, que dispõe de maneira muito objetiva que só serão indicados e nomeadas pessoas com alta qualificação técnica, sem ser necessária indicação de outra natureza que não seja qualificação técnica, e preferencialmente pertencente aos quadros das próprias empresas estatais", disse Temer em breve pronunciamento à imprensa no Palácio do Planalto.

"Se conseguirmos aprovar o projeto de fundos de pensão e estatais ainda essa semana, teremos dado mais um passo", acrescentou Temer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.