Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Temer chama de ‘análise sociológica’ críticas de Meirelles ao PSDB

Meirelles disse que o candidato do governo não será Alckmin e criticou 'falta de comprometimento' do PSDB com o governo

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

05 de dezembro de 2017 | 16h31

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer afirmou nesta terça-feira, 5, não ter considerado um ataque ao PSDB as declarações do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, sobre o partido e sobre o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Reportagem do Estado mostrou que as críticas recentes feitas pelo ministro têm o aval do presidente.

"Ele fez uma declaração de acordo com as concepções dele. Mas nada agressivo com relação ao PSDB. Foi uma análise sociológica", disse Temer.

+++ Para 2018, Meirelles tenta firmar imagem ligada a crescimento e emprego

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, publicada na segunda-feira, Meirelles disse que o governo terá um candidato à Presidência em 2018. Afirmou, porém, que esse postulante não será Alckmin, criticando a indecisão do PSDB quanto à reforma da Previdência e a falta de comprometimento em defender o “legado” do atual do governo.

+++ 'Meirelles falou mais do que devia', diz presidente interino do PSDB

Conforme revelou o Estado no fim do mês passado, Temer começou a desenhar uma estratégia para a eleição. A ideia é reunir os principais partidos da coalizão governista em uma chapa de centro-direita para a corrida ao Palácio do Planalto. Filiado ao PSD, Meirelles quer ser esse concorrente e já tenta repaginar sua imagem, para torná-la mais popular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.