Temer anuncia implantação de ponto eletrônico

Em uma ação para forçar os funcionários "fantasmas" a comparecer ao trabalho, o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), anunciou a implantação do ponto eletrônico. Hoje o controle é feito por meio de assinatura em listas. Até agora, a efetivação do sistema emperrou na resistência política dos parlamentares.Nas últimas semanas, foram várias as notícias de desvio de funcionários, ora exercendo funções em residências dos parlamentares, ora lotados em lideranças, mas atuando em outro órgão da Casa. A previsão é de que o novo sistema entre em vigor em três meses. Ficarão sujeitos ao ponto os 3.470 servidores do quadro efetivo, os 1.350 assessores admitidos sem concurso público e ainda os contratados por meio da verba de gabinete, conhecidos por secretários parlamentares. São 11 mil desses secretários, mas a estimativa é de que só 2.500 trabalham nas dependências da Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.