Temer admite que Funasa pode não ficar com o PMDB

Vice-presidente diz que definição do comando da Fundação Nacional da Saúde será fruto de acordo

ELDER OGLIARI, Agência Estado

21 de janeiro de 2011 | 16h21

O vice-presidente da República, Michel Temer, disse que a definição do comando da Fundação Nacional da Saúde (Funasa) será fruto de acordo e admitiu que o cargo não está garantido ao PMDB.

"A liderança do PMDB, o nosso Henrique Alves, esteve com o ministro (da Saúde) Alexandre Padilha e ajustaram que o nome seria definido mais adiante e em conversa comum", disse, em breve conversa hoje com jornalistas na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. "Não é necessariamente do PMDB", acrescentou.

Temer participou como palestrante do seminário O Brasil que Saiu das Urnas na sede do legislativo gaúcho. No mesmo evento foi homenageado com a Medalha do Mérito Farroupilha. Logo depois, almoçou com o governador Tarso Genro e lideranças políticas locais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.