Temer admite que destinou passagens aéreas para parentes

Em nota, presidente da Câmara anunciou reunião para definir "de forma mais clara' a utilização de passagens

Christiane Samarco, de O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2009 | 19h00

O presidente da Câmara, Michel Temer (SP), reunirá a Mesa Diretora nesta quarta-feira para tentar disciplinar, "de forma mais clara e transparente", a utilização de passagens aéreas e das cotas de postagem e impressos, além do auxílio-moradia e das verbas indenizatórias, sobre as quais, segundo ele, ainda restam dúvidas. Em nota oficial divulgada hoje por sua assessoria, Temer admitiu que ele próprio destinou "parte da cota de passagens aéreas a familiares e terceiros não envolvidos diretamente com a atividade do parlamento".

 

Na nota, o uso desregrado das passagens e os "equívocos" cometidos nos gastos da verba indenizatória e das cotas de postagem e outros benefícios são atribuídos ao fato de que "o crédito era do parlamentar, inexistindo regras claras definindo os limites da sua utilização". Foi diante desta avaliação que o presidente encomendou à assessoria administrativa e jurídica da Câmara um estudo que sirva de base à "readequação e reestruturação geral e definitiva de todos pagamentos feitos pela Casa".

 

Na reunião de quarta, os membros da Mesa deverão estabelecer um cronograma para a implantação do novo sistema de controle. A ideia é verificar que mudanças podem ser adotadas de imediato, dentro da "diretriz da transparência absoluta, já definida nas verbas indenizatórias, da redução dos gastos e da sua publicidade para que todos a elas tenham acesso".

 

Os dirigentes da Câmara também querem listar as novas regras que demandarão mais tempo para entrar em vigor, por exigirem reformulação do sistema de compras e de prestação de contas. Nos casos que exigirem novas ferramentas de controle à disposição do parlamentar, a Mesa deve pedir prazo de adaptação. Isto, sem falar no que depender de alterações no regimento interno, que terão de passar pelo plenário.

 

"Marcos legais claros e definitivos serão colocados à disposição de parlamentares e de todos interessados ainda nos próximos dias", encerra a nota.

Tudo o que sabemos sobre:
Michel TemerpassagensCâmara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.