Telefônica se nega a comentar possível CPI da TVA

A Telefônica diz que não vai se pronunciar sobre o requerimento de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a compra de parte da operadora de TV a cabo TVA. Hoje, a Secretaria-Geral da Mesa da Câmara dos Deputados informou que já existe número suficiente de assinaturas para a abertura da CPI, cujo requerimento foi feito pelo deputado Wladimir Costa (PMDB-PA). Foram recolhidas 182 assinaturas, quando o mínimonecessário é de 161.O próximo passo é o presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), analisar se há ou não fato determinante para a instalação da comissão. Chinaglia deve analisar o caso na próxima semana. Hoje, em discurso na tribuna do Senado, o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), pediu à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) o adiamento da decisão final da compra de parte da TVA pela Telefônica. Segundo ele, houve ilegalidade na operação.Para o deputado Wladimir Costa, a transação fere a legislação do setor de telecomunicações, a lei do consumidor e a soberania nacional. "Existem fortes indícios de que houve falcatrua", afirmou. A Anatel também se esquivou de comentar a denúncia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.