Teixeira:governo será pautado por ganho de produtividade

O coordenador do programa de governo da candidata Dilma Rousseff (PT), Alessandro Teixeira, afirmou que o governo petista é e será pautado pelo ganho de produtividade que a indústria nacional necessita para se manter competitiva em escala internacional. Em defesa ao atual modelo econômico adotado pelo governo federal, alvo de críticas durante palestras realizadas por colaboradores das campanhas de Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB), Teixeira destacou que o cenário da indústria mundial passou por mudanças em função do avanço da indústria chinesa.

RICARDO LEOPOLDO, ANDRÉ MAGNABOSCO E ELIZABETH LOPES, Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2014 | 12h53

"Quando ganhamos as eleições (PT), o projeto foi transformar o Brasil em um País desenvolvido econômica e socialmente. E não conseguimos fazer isso sem ter uma indústria desenvolvida", afirmou Teixeira durante evento "A Indústria na Política Econômica do Próximo Governo", em São Paulo. "Também temos uma radiografia da indústria diferente, dado que a China viveu um período de bonança. Não estou dizendo que as coisas estão maravilhosas. Sabemos que há dificuldades", complementou.

Teixeira também rebateu a declaração dada pouco antes por Armando Castelar, colaborador, da campanha de Aécio Neves, de que o atual governo não tem uma política industrial com "foco e clareza". Ele listou uma série de medidas de incentivo à indústria adotadas pelo governo federal nos últimos anos, como o Reintegra, o ReiQ e as desoneração da folha de pagamento de diferentes setores.

Teixeira destacou que há, neste momento, dois programas de governo bastante distintos, sugerindo que os de Aécio Neves e Marina Silva sejam similares. O projeto petista prioriza o conteúdo local, segundo ele. Já o projeto de PSDB e PSB miraria a simples abertura de mercado, o que poderia provocar a "destruição" da indústria nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.