Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Técnicas chinesas serão usadas na rede pública de saúde

Acupuntura e outras técnicas da medicina tradicional chinesa, como massagens, exercícios e dietas, serão incorporadas às especialidades disponíveis na rede pública de saúde de Campinas,conforme portaria da secretária municipal de Saúde, Maria do Carmo Cabral Carpintéro.Na próxima semana, haverá a primeira reunião com médicos interessados em integrar a Comissão de Acupuntura, que se encarregará da implantação do projeto. A portaria foi publicada há um mês no Diário Oficial do Município.Em levantamento preliminar, a Secretaria descobriu que há pelo menos 16 médicos na redepública com capacitação para a prática de acupuntura. A maioria não a utiliza nospacientes do sistema municipal de saúde, salvo em casos isolados. O objetivo é estender a técnica a todos os pacientes interessados.A Secretaria informou que não há prazo para o início do atendimento, mas estimou que em dois meses a Comissão deve concluir o planejamento para a implantação do projeto. A homeopatia e a fitoterapia estão disponíveis na rede públicade Campinas desde 1990 e 2001, respectivamente.A médica acupunturista Zilda Barbosa explicou que a técnica pode ser usada preventivamente, quando há sintomas, mas a doença ainda não atingiu os órgãos, ou como tratamento complementar em casos de doenças orgânicas. Ela citou que em pacientes de câncer a acupuntura pode atenuar os efeitos do tratamento e melhorar a qualidade de vida do doente.?Não vai curar o câncer, mas ajudar o paciente a conviver melhor com a radioterapia e a quimioterapia?, exemplificou a médica. Segundo ela, a acupuntura tem duas grandes utilidades, tratar sintomas em quadros agudos e harmonizar ofuncionamento do organismo.Há casos de desaparecimento de doenças crônicas, como enxaqueca e alergia, em tratamentos a longo prazo, comentou Zilda. Ela lembrou que a acupuntura é tida no Brasil como especialidade médica desde 1997. Fisioterapeutas e enfermeiros podem aplicá-la, desde que o tratamento tenha sidoprescrito por um médico especializado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.