Tebet votou contra cassação de Estevão, diz ACM

O senador Antonio CarlosMagalhães (PFL-BA) começou a quebrar o sigilo do voto da sessão que cassou o ex-senador Luiz Estevão.Ele afirmou nesta segunda-feira,antes de embarcar para Brasília, que o presidente do Conselho de Ética, senador Ramez Tebet (PMDB-MS), votou contra acassação do colega peemedebista.O argumento - que funciona como um trunfo - dos senadores é que seria impossível comprovar a veracidade de uma lista queeventualmente venha a ser divulgada.?Eu não apresento, mas se aparecer eu confirmo?, disse ACM, insistindo em que quem tem alista é o ex-senador José Roberto Arruda que, na semana passada, renunciou para escapar da cassação.?Arruda é quem sabe da lista?, reafirmou o ex-presidente do Senado.ACM ainda continua a fazer mistério em torno da lista, embora sustente que não a possui. Ao mesmo tempo afirma que?muita gente ficará envergonhada por ter mentido à Nação?, se os nomes dos senadores que votaram contra a cassação vierem apúblico.À pergunta sobre quem poderia ter medo da divulgação da lista, ACM ironiza: ?Quem brigou mais. E vocês que tirem asconclusões?.?Mas o que é a verdade??. Essa interrogação está na primeira página do discurso de renúncia que o senador Antonio Carloslevou pronto para Brasília e será lido, na próxima quarta-feira, da tribuna do Senado.?Saiu um bom discurso?, concluiu, antes de guardar dois exemplares num envelope pardo. Indagado se o pronunciamento seráforte, respondeu conciso: ?Ameno?.Além do discurso, ACM colocou em sua pasta preta de couro cópias de relatórios datados de1996 e de 2000 que alertavam o governo para problemas na área energética, um dos temas de seu discurso de despedida do Senado.Na quinta-feira, depois da posse de seu filho e suplente, Antonio Carlos Magalhães Júnior, ACM serárecebido em Salvador com festa, que está sendo organizada pelo PFL local.Depois de passar o dia em casa dando os últimos retoques no discurso, ACM recebeu o jogador Edilson, do Flamengo, emseu escritório na sede do jornal Correio da Bahia, de sua propriedade.Artilheiro do Campeonato Carioca, o baiano teve atuação decisiva no jogo de domingo, garantindo o título ao time do Rio.Aoentregar a camisa número 9 do Flamengo ao senador, o atacante disse que ACM está sendo injustiçado e conclamou o povobaiano a apoiá-lo.?Temos que passar força para o nosso grande mestre, por quem temos admiração. Independente do que aconteceu, o povo da Bahia está aqui para dar apoio e solidariedade?, afirmou.Na troca de gentilezas, ACM prometeu cunhar uma medalha de ouro como homenagem ?do povo baiano ao grande craque?.?Eleé um legítimo representante da Bahia, e o apoio de Edilson é muito estimulante e me ajuda a ir em frente. É deste tipo de apoioque mais preciso e sei que a Bahia está comigo?, devolveu ACM, ressaltando o fato de o jogador manter família e seus laços coma Bahia, apesar da carreira fora do Estado.Leia também:Ordem no Planalto é tentar esvaziar ACM - 29/5/2001Lista vai aparecer e CPI da Corrupção é inevitável - 28/5/2001ACM aceita rendição para salvar império na Bahia - 27/5/2001ACM fala: "Tento me conformar com o julgamento injusto" - 27/5/2001ACM não sairá de cena, diz Bornhausen - 27/5/2001ACM avisa que FHC deve temer seu discurso - 26/5/2001ACM já definiu data e hora para deixar o Senado - 25/5/2001Planalto aguarda discurso de ACM com apreensão - 24/5/2001Arruda renuncia para evitar a cassação - 24/5/2001Relator quer afastar suspeita de favorecimento - 24/5/2001Sucessão de 2002 explica generosidade com ACM - 24/5/2001Derrota faz senador estudar tom do discurso da renúncia - 24/5/2001Arruda aguarda para definir estratégia - 24/5/2001Decisão de Jader beneficia ACM e Arruda - 23/5/2001ACM quer atrasar processo de cassação - 22/5/2001ACM e PFL articulam para evitar cassação - 21/5/2001Amigos e seguidores ainda tentam livrar ACM da cassação - 20/5/2001 Cresce expectativa por renúncia dos dois senadores - 18/5/2001 ACM diz que não renuncia e mandará pizza para mães dos empresários - 17/5/2001Renúncia pode ser a última cartada de ACM - 16/5/2001Arruda pede parecer sobre renúncia - 16/5/2001

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.