Tebet descarta acordo para salvar senadores

O presidente do Conselho de Ética do Senado, Ramez Tebet (PMDB-MT), virou as costas para os rumores que agitaram os corredores do Congresso na última semana. Em entrevista exclusiva ao Estado, ele garante que não foi consultado e avisa que não aceita participar de um acordo partidário em que uma pena mais branda para os senadores Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (sem partido-DF) seja a moeda de troca para proteger o presidente nacional do seu partido e do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), de um eventual pedido de cassação por seu suposto envolvimento no caso Sudam. "Ouvi falar, mas ninguém me consultou", disse Tebet. "Não participo de acordão", disse Tebet.Leia mais no Estado

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.