Tebet aceita concorrer à presidência do Senado

O ministro da Integração Nacional, Ramez Tebet (PMDB-MS), comunicou à cúpula nacional do PMDB que é candidato à Presidência do Senado. O nome de Tebet havia sido deixado de lado pelo comando do partido por causa da rejeição ao seu nome entre os 25 senadores do PMDB, inconformados por estar o partido buscando alguém de fora da bancada parlamentar. Tebet, por ter assumido o cargo de ministro da Integração, está licenciado do mandato de senador por Mato Grosso do Sul. Outro fato que havia retirado Tebet da disputa: embora favorável à candidatura dele, o presidente Fernando Henrique Cardoso deu a entender que, com a saída de Tebet da Integração para retornar ao Senado, poderia extinguir o Ministério. Isso fez com que a cúpula peemedebista recuasse da opção Tebet para não perder uma pasta na administração federal. Tebet volta agora ao jogo da sucessão no Senado depois da rejeição do PFL e de setores do bloco de oposição à indicação do líder do PMDB no Senado, senador Renan Calheiros (AL), e depois da decisão do senador José Sarney (AP) de não concorrer ao cargo em razão da insistência dos senadores José Alencar (MG) e José Fogaça (RS) em continuarem concorrendo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.