TCU vai apurar irregularidades em cartilha do governo

O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu hoje abrir uma tomada de contas especial (TCE) para investigar graves irregularidades constatadas na Secretaria de Comunicação do governo (Secom). Na contratação de agências de propaganda para a impressão de material promocional do governo Lula - revistas e encartes. As irregularidades incluem serviços não executados e sobrepreço. O TCU decidiu ainda citar como responsáveis o ex-ministro da Secom, Luiz Gushiken, e Marcos Vinícius de Flora, que era seu adjunto, além de outros cinco funcionários da Secretaria.Também foram citadas como responsáveis, entre outras, as empresas Duda Mendonça e Associados LTDA, a agência Matisse Comunicação de Marketing LTDA, contratadas para executar serviços de impressão. A aprovação da investigação sobre a Secom pelos oito ministros do TCU foi unânime.Agora, o TCU encaminhará cópias do processo para o Ministério Público para que sejam tomadas as providências cabíveis. O TCU afirma que "restou demonstrada a participação do PT na implementação dos contratos provocando com essa conduta confusão entre a ação governamental e a ação partidária com claros objetivos promocionais do partido. Gushiken, Marcos Flora e as empresas citadas terão quinze dias para apresentarem defesa ou devolverem aos cofres públicos o prejuízo causado pela constatação de sobrepreço na venda de materiais gráficos e serviços não executados. Serão citados para em 15 dias apresentarem defesa ou devolver aos cofres públicos o prejuízo decorrente de sobrepreço na venda de materiais gráficos e serviços não executados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.