TCU suspende programa que dá laptop para aluno

O programa Um Computador por Aluno está mais uma vez parado no Tribunal de Contas da União (TCU). Desta vez, porque a empresa Encore, que ofereceu o menor preço na licitação, questionou no tribunal os testes realizados pelo governo e que declararam seu produto incompatível com o desempenho esperado das máquinas. A licitação, aberta em dezembro, já tinha sido interrompida em janeiro porque o TCU questionou o processo, alegando indícios de irregularidades nas exigências da licitação. Liberado em março, o processo parou nos testes feitos pelo Inmetro. "Quando tivemos a definição da empresa que apresentara o menor preço, fizemos testes de desempenho nas máquinas, que se revelaram insatisfatórios. Pedimos uma segunda bateria de testes ao Inmetro e os resultados se confirmaram", conta o assessor especial da Presidência Cezar Alvarez, coordenador do programa de inclusão digital. Segundo Alvarez, a empresa Encore decidiu contestar os testes no TCU. "Enviamos nossas respostas há cerca de 30 dias vamos tentar acelerar a decisão", explicou. O governo pretende que o TCU autorize a exclusão da Encore e a negociação com a segunda colocada, a empresa CCE. Se isso não acontecer, uma nova licitação terá que ser feita. O programa consiste em colocar na mão de cada aluno de escola pública um laptop simplificado, abrangendo 300 cidades e 150 mil crianças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.