TCU começa a fiscalizar Tapa-Buraco na segunda-feira

O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Adilson Motta, anunciou que o órgão começará na próxima segunda feira a fiscalizar a Operação tapa-Buraco, iniciada pelo governo federal no último dia 9. Segundo Motta, 100 auditores farão parte da força-tarefa que acompanhará a execução dos trabalhos tanto do ponto de vista técnico quando de custos. "Daremos atenção especial aos serviços que estão sendo executados com dispensa de licitação", disse Motta, na sede do TCU.Dos 26,5 mil quilômetros que serão contemplados pela operação, em cerca de 7,2 mil quilômetros, as obras serão executadas em caráter emergencial, sem licitação. Nos demais trechos, o governo está realizando aditamentos aos contratos fechados anteriormente, para os quais já houve licitação. Motta afirmou que, mesmo no caso das obras feitas com base em contratos anteriores, o TCU vai checar se esses contratos não estão vencidos. Com relação aos custos das obras, a atuação do tribunal será no sentido de verificar se estão sendo cobrados preços de mercado. Outra prioridade será avaliar os critérios para escolha das empresas contratadas.Questionado sobre o fato de algumas das empresas que participam do programa terem sido doadoras de campanha de partidos da base aliada, como é o caso da Delta Construções, Motta afirmou que isso não é empecilho para as empresas fazerem as obras. Segundo ele, o governo só não pode entregar o serviço a empresas condenadas pelo TCU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.