TCU aponta irregularidades no Ministério do Trabalho em 2002

Uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) detectou irregularidades na contratação e execução dos serviços de publicidade e propaganda do Ministério do Trabalho em 2002, na gestão do ex-ministro Francisco Dornelles. Segundo nota do TCU, foram identificados o uso indevido de recursos do Fundo do Amparo ao Trabalhador (FAT) para campanhas publicitárias, apresentação de orçamento fraudado, utilização de recursos de publicidade para promoção de dirigentes sindicais e entidades por eles representadas e alteração do contrato firmado com a DNA Propaganda Ltda - a mesma do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, apontado como operador do esquema do mensalão e do caixa 2 do PT.O relatório, segundo a nota do TCU, "também aponta falhas no acompanhamento e fiscalização dos contratos, realização de serviços de publicidade fora da atividade programática do MTE e realização de serviços fora do objeto do contrato". Todos os envolvidos serão chamados para apresentar esclarecimentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.