Tasso será o relator do caso Renan na CCJ do Senado

Tucano já deu demonstrações de ser pró-cassação do presidente da Casa; após comissão, caso vai a plenário

CHRISTIANE SAMARCO, do Estadão,

05 de setembro de 2007 | 15h49

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Marco Maciel (DEM-PE), designou o presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), para ser o relator do processo em que o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), é acusado de quebra de decoro parlamentar por supostamente pagar despesas pessoais com dinheiro de lobista da empreiteira Mendes Júnior.       Veja também: Conselho aprova parecer pela cassação de Renan Calheiros Caso Renan pode prejudicar CPMF, diz David Fleischer  Veja a cronologia do caso Renan Íntregra do relatório que pede a cassação de Renan  Entenda as três frentes de investigação contra Renan  Em resposta a aliado de Renan, relatores defendem cassação 'Vamos ganhar... É ter calma', afirma Renan sobre cassação Aliado de Renan, Salgado não vê indícios para cassação Saiba como tramitará o processo contra Renan   Denúncias contra Renan abrem três frentes de investigação  Nova denúncia: Renan tem de explicar propinas   Maciel havia programado reunir a CCJ a partir das 15 horas para a votação que definirá a constitucionalidade ou não da representação contra Calheiros, de autoria do PSOL. Mas, por causa da demora na votação em que o Conselho de Ética aprovou parecer favorável à abertura de processo de cassação do mandato do senador, Maciel atrasou notificação das partes envolvidas - o PSOL, Calheiros e seu advogado, Eduardo Ferrão. Com isso, só deverá começar às 17 horas a reunião da CCJ, que analisará os aspectos constitucional, jurídico e legal do processo, sem entrar no seu mérito.

Mais conteúdo sobre:
caso Renan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.