Tasso protesta contra endosso de Lula à decisão da Petrobras

O presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), protestou contra o gesto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de endossar a decisão do presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabielli, de cancelar unilateralmente o consórcio italiano e coreano encarregado da conclusão das obras de uma siderúrgica do Ceará.Tasso anunciou que na próxima semana será obrigado a dizer que o presidente Lula "é um mentiroso, é um farsante" se até lá a notícia não for esclarecida. Segundo ele, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, confirmou a informação à senadora Patrícia Sabóia (PSB-CE), alegando tratar-se de "uma questão da Petrobrás".O senador disse que, na campanha para se reeleger, a obra foi "anunciada e cantada" por Lula como obra fundamental de seu governo. Para Tasso, a atitude de Lula "é uma das maiores farsas que este País já teve e está fazendo, na história do Ceará, com o povo pobre, uma montagem e uma mentira que um homem público na poderia fazer nunca neste País". Segundo ele, Gabrielli reage como se estivesse acima do País, além de se revelar autoritário e violento com a imprensa. "Quero deixar minha palavra veemente conta a visão autoritária e personalística de direção de uma empresa pública, que vem a partir de uma decisão pessoal prejudicar todo o investigar de um Estado", afirma.A certa altura, quando o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) disse ter recebido do diretor Ildo Sauer a informação de que não há um contrato assinado entre as partes, Tasso Jereissati se prontificou a mostrá-lo aos senadores. Suplicy disse que não era necessário. Tasso insistiu: "Não, de mentiroso basta o mais famoso", dando a entender que se referia à promessa de Lula. Mais na frente, dirigindo-se à senadora Heloisa Helena, Tasso disse que iria sentir falta da indignação demonstrada por ela contra o governo. "Tenho muito medo da próxima legislatura e um dos medos e receio é a falta de sua indignação sempre sincera". Continuando, disse à senadora que ele próprio já tem pelo menos uma pessoa para dirigir dois adjetivos muito utilizados por ela: "canalha e cretino". Mas não adiantou quem é.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.