Tasso nega candidatura e aguarda posição do PSDB

O governador do Ceará, Tasso Jereissati, disse hoje que o candidato do governo à sucessão do presidente Fernando Henrique Cardoso deve ser definido até o fim deste ano ou início do próximo. Ele afirmou que ainda não conversou com o presidente Fernando Henrique Cardoso sobre o assunto, mas acredita que esta definição tem que passar antes, necessariamente, pelo presidente do partido, José Aníbal. Jereissati almoçou nesta quinta-feira com os três principais líderes tucanos de Minas Gerais na residência oficial do presidente da Câmara, Aécio Neves.Também participaram do almoço de quase três horas, além de Aécio e Tasso, o ministro das Comunicações, Pimenta da Veiga, e o ex-governador de Minas, Eduardo Azeredo. Depois de fazer uma brincadeira dizendo que o almoço estaria celebrando a união do leitão à pururuca com o baião de dois - comidas típicas de Minas e Ceará - , Tasso negou uma articulação com os líderes mineiros com vistas ao apoio a uma eventual candidatura à Presidência da República. "Não sou candidato de mim mesmo. Não participo desse jogo dessa maneira. A candidatura do PSDB tem que sair naturalmente do consenso do partido e isso vai acontecer com o tempo", disse.O governador acrescentou que o governo não precisa se precipitar e nem ter pressa em razão das candidaturas de oposição já estarem colocadas e estarem em vantagem nas pesquisas de intenção de voto. "A melhor ofensiva do governo é melhorar a economia e apresentar melhores resultados", afirmou. Disse ainda que concorda com o presidente Fernando Henrique que, em discurso feito hoje na posse do ministro do Desenvolvimento, Sérgio Amaral, lembrou que ainda restam 16 meses de governo e que ainda há muita água para rolar de baixo da ponte. "Não é preciso haver nenhuma ansiedade exagerada de nossa parte", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.