Tasso Jereissati diz que ACM era 'extraordinário'

Senador baiano morreu nesta manhã, por falência múltipla de órgãos

Agência Senado

20 de julho de 2007 | 20h31

"Se existe alguém que possa ser considerado extraordinário, este era Antonio Carlos Magalhães". A frase é do senador Tasso Jereissati (CE), presidente nacional do PSDB, que divulgou nota nesta sexta-feira, 20.   Veja também: Morre o senador Antonio Carlos Magalhães No vídeo mais acessado no YouTube, ACM defende ditadura Frases do senador Site oficial do senador Galeria de Fotos  ACM visita o Estado de S. Paulo    Ainda na nota, Tasso ressaltou que "é impossível se falar da Bahia, sem se falar de Antonio Carlos Magalhães, da mesma forma que é impossível se falar de política brasileira sem se dedicar um capítulo exclusivo para ACM".   ACM morreu nesta sexta-feira, 20, às 11h40 no Incor-SP por falência múltipla dos órgãos, após o agravamento do seu estado de saúde durante essa madrugada, quando sofreu uma parada cardíaca. Ele estava internado no hospital há 37 dias, desde 13 de junho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.