Tasso evita comentar proposta de Serra

O governador do Ceará, Tasso Jereissati (PSDB), chegou à casa da mãe, Maria de Lurdes Ribeiro Jereissati. Ele está acompanhado da mulher Renata e fará uma visita rápida, antes de se dirigir para a gravação de um programa na Rede TV. Ao deixar o hotel, concedeu uma rápida entrevista. Tasso disse que não teve tempo para ler os jornais de hoje e não chegou a ver a proposta feita pelo ministro da Saúde José Serra sobre a adoção de um tipo de "Lei de Responsabilidade Cambial". Foi a primeira vez que o ministro Serra falou sobre um tema que não seja saúde. Na avaliação de Tasso isso não significa que o ministro esteja assumindo a candidatura à Presidência da República. "Não vi o discurso, mas todo mundo sabe que o Serra é candidato. Quem é que não sabe?"Na semana passada, Tasso sugeriu que o ministro Serra precisava assumir que era um dos pré-candidatos do PSDB à sucessão do presidente Fernando Henrique Cardoso. "Não foi um desafio, longe de mim fazer isso. O que eu disse na ocasião é que, em determinado momento, se houvesse uma disputa era saudável assumir a candidatura. É importante que tudo fique muito transparente", afirmou Tasso.Sobre a proposta de "Lei de Responsabilidade Cambial" Tasso disse que não poderia fazer nenhum comentário, mas acabou elogiando a proposta do ministro mesmo sem conhecê-la. "Prometo que vou ver. Mas deve ser boa. Tudo que sai do Serra é com muita competência", afirmou Tasso. O governador cearense voltou a afirmar que não pode lançar a candidatura dele próprio sem que haja uma consulta a outros setores do PSDB, a outros partidos e lideranças empresariais e sindicais. Tasso disse também que o apoio da família do governador Mário Covas, falecido em março, deu a ele condição para que se sinta "pré-candidato".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.