Tasso elogia administração de Roseana Sarney

O governador do Ceará, Tasso Jereissati (PSDB), ri quando perguntado se a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL), é a candidata dele à Presidência da República. Desconversa quando o assunto é o ministro tucano José Serra (da Saúde), argumentando que irá falar de sucessão presidencial apenas "quando Papai Noel for embora" (no Dia de Reis, 6 de janeiro). Mas não se esquiva na hora de defender Roseana. Ao ser questionado qual seria o "milagre" dela conseguir alta aprovação popular mesmo com índices sociais como saúde e educação tão baixos, Tasso sai com um "é muito importante ver como era antes" e não poupa elogios para a colega maranhense. "Em relação ao que era (o Maranhão), ela (Roseana) deu uma melhorada boa. E, às vezes, também os resultados não são imediatos. Na educação, por exemplo, o trabalho só começa a aparecer anos depois. Acredito que esteja fazendo um bom trabalho e quem está lá dentro do Estado é quem está vendo". Na semana passada, Tasso suspendeu a pré-candidatura à Presidência. Ele nega mágoas, mas diz ter tomado a decisão para acabar com o clima de "hostilidade" dentro do PSDB. Nas conversas reservadas, reconhece ter saído definitivamente do páreo. Mas nas entrevistas, insiste que seu nome continua à disposição do partido. "Para ser senador, por exemplo", cita, sem demonstrar firmeza. Ele afirma ter muitas dúvidas em relação ao próprio futuro. A única certeza é a de que não poderá ser candidato à reeleição no Ceará, pois já foi. Quanto a ser senador, Tasso não sabe se adaptaria à função legislativa. Alega que sempre foi um executivo. Ao ser questionado se retomaria a campanha caso o ministro Serra não decole nas pesquisas e se acha que teria desempenho melhor, Tasso responde: "Não sei se vou decolar. Nada me faz pensar que vou decolar. São suposições". Tasso Jereissati participou ontem à noite de uma confraternização com a imprensa, na residência oficial do Estado.Ciro elogia TassoEm entrevista publicada hoje no jornal cearense O Povo, o presidenciável Ciro Gomes elogia o governador Tasso Jereissati e lamenta a saída dele do páreo sucessório presidencial. ´´Lamento a saída do Tasso. Lamento pelo Brasil, porque ainda que ele representasse uma possível candidatura no campo do governo, traria para o debate a seriedade, a competência, e o Brasil ganharia com isso. Claro que para mim seria um debate delicado, mas o Brasil perde com isso e eu também´´, afirma Ciro. Ele, que chegou a tratar com indiferença, em entrevistas recentes, a entrada de Roseana Sarney como presidenciável, diz agora que é preciso respeitá-la. ?Ela (Roseana) é filha do ex-presidente Sarney, governadora duas vezes do Maranhão, tem um irmão ministro (Sarney Filho, do Meio Ambiente) e pertence ao PFL. É uma estrutura de poder muito grande e um fenômeno."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.