Tasso diz que Serra é pré-candidato à Presidência

O presidente nacional do PSDB, Tasso Jereissati (CE), admitiu a pré-candidatura à presidência da República do prefeito de São Paulo, José Serra, embora o prefeito não tenha admitido publicamente. "Claro que (Serra) é candidato", disse Tasso, ao chegar para um almoço na residência do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do qual também participa o governador de Minas Gerais, Aécio Neves. Ele disse que para chegar à esta conclusão, não é necessária "a explicitação dele(Serra)". Caso a escolha do prefeito se confirme, o governador de Minas Gerais afirmou que o PSDB não terá problemas em relação à perda do comando da cidade de São Paulo. "Se as coisas convergirem em torno do prefeito José Serra, é o preço que se pagará," disse. Segundo Tasso, o PSDB sempre contou com três pré-candidatos, entre eles o prefeito paulista. "Nós sempre tivemos três pré-candidatos: o governador Aécio, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin e o prefeito Serra", disse.Apesar da citação de Tasso, o governador mineiro confirmou sua desistência à pré-candidatura e disse que trabalhará, a partir de agora, para a escolha do presidenciável tucano. "Na verdade, uma candidatura à presidência da República tem que ter presente uma boa dose de naturalidade e, sobretudo, tem que trazer consigo o partido unido", disse Aécio, complementando que, neste momento, seu papel será o de "auxiliar na construção dessa unidade".Perguntados sobre as chances de Serra e de Alckmin emplacarem uma candidatura, os dois líderes tucanos evitaram tomar qualquer partido e ressaltaram as qualidades de ambos. Segundo Aécio, Alckmin tem a seu favor o encerramento de um bem avaliado mandato de governador e Serra conta com um certo apoio da população, demonstrado pelas últimas pesquisas eleitorais. "A grande vantagem é que o PSDB não tem aventureiros postulando a candidatura presidencial. Serra e Alckmin são dois homens públicos testados e experimentados, com história política e, sobretudo, são homens de partido."De acordo com Jereissati e o governador Aécio, o almoço que ocorre agora na residência do ex-presidente FHC, na Capital, tem por objetivo discutir os critérios que vão balizar a escolha do candidato tucano à presidência da República. "Nós vamos trabalhar juntos com o presidente Fernando Henrique para escolher a melhor solução para o partido e para o País", disse Tasso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.