Tasso diz que futuro de Renan depende do PT

O presidente do PSDB quer também que o STF autorize a abertura de inquérito contra os mensaleiros

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

20 de agosto de 2007 | 19h24

O presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), disse nesta segunda-feira, 20,  que a permanência do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência do Senado "depende praticamente do PT". "Se o PT e o governo continuarem sustentando a votação secreta no Senado é difícil", reconheceu. "Mas espero que ainda desça a consciência de está em julgamento não um ou outro senador, mas a credibilidade da instituição." Ele também manifestou o desejo de que o Supremo Tribunal Federal (STF) autorize a abertura de inquérito contra os mensaleiros. "Acho que é o verdadeiro câncer que está afetando todas as áreas", salientou. "Há um show de impunidade que o governo acoberta, fazendo com que o País creia que não vale a pena ser honesto. É um erro brutal, que vai deixar seqüelas no governo Lula, que está protegendo todos esses delinqüentes." Alertado de que o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) é investigado em razão da campanha de 1998 para o governo de Minas Gerais, ele disse que são situações diferentes. "Não tem nenhuma prova de caixa dois de campanha", acentuou. "No outro, é desvio de dinheiro no governo." Mas ressaltou que, caso haja citação, caberá à Justiça analisar a situação do tucano. "O que tem que acabar é a impunidade, porque dá vazão, inclusive, à criminalidade", sustentou.

Tudo o que sabemos sobre:
PTcaso RenanPSDBmensalão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.