Tasso diz que foi usado pelo PSDB

O governador do Ceará, Tasso Jereissati, um dos presidenciáveis tucanos, chegará a Brasília no final da tarde de hoje para um encontro com o presidente Fernando Henrique Cardoso. Tasso deverá colocar sua insatisfação em relação à escolha da liderança do PSDB no Senado, que reconduziu o seu desafeto político, senador Sérgio Machado (PSDB-CE), e com a composição da Mesa do Senado. Os tucanos cearenses avaliam que foram usados pelo PSDB. Isso porque, durante a eleição no Senado, Tasso Jereissati atendeu ao apelo do hoje presidente da Câmara, Aécio Neves (MG), para impedir a candidatura de Lúcio Alcântara (CE) no Senado. E ontem à noite, além da eleição de Sérgio Machado, o PSDB excluiu o senador Lúcio Alcântara da primeira Secretaria, entregando o cargo para o senador Carlos Wilson (PPS-PE), do grupo de oposição. "Fomos usados", disparou o senador Lúcio Alcântara. "O que envolve negócio de barganha, estou fora", desabafou ele, classificando a articulação da cúpula do PSDB de "trama". Isso deve gerar uma grande crise no PSDB nos próximos dias, podendo interferir inclusive na eleição do novo presidente do partido, marcada para maio. Com o resultado das eleições no Senado, Tasso Jereissati ficou enfraquecido dentro do partido, já que outro presidenciável, o ministro José Serra, conseguiu eleger Jáder Barbalho no Senado e Aécio Neves na Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.