Tasso desiste de aparecer em programa eleitoral

O governador do Ceará, Tasso Jereissati, comunicou hoje aos dirigentes do PSDB que não pretende aparecer no programa eleitoral do partido em cadeia de rádio e televisão, apesar de seu depoimento ter sido gravado no último sábado. A desistência de Tasso ocorreu depois de a Executiva Nacional do partido decidir ontem à noite, em reunião, abrir o programa à participação das lideranças do partido e não apenas aos pré-candidatos à sucessão presidencial, como o próprio Tasso e os ministros da Saúde, José Serra, e da Educação, Paulo Renato. O grupo do PSDB que apóia a pré-candidatura de Serra conseguiu aprovar essa posição na Executiva, o que desagradou o governador cearense. O ministro Serra, por sua vez, se recusou a gravar um depoimento para o programa, argumentando que estaria assumindo, de modo prematuro, sua candidatura. Ao prevalecer essa posição, Tasso preferiu ficar também fora do programa, já que sua aparição ficaria dissolvida, como avaliou um dirigente tucano. "Na reunião de ontem ficou estabelecido que a Executiva Nacional se transformará, a partir de agora, no foro político e de decisões estratégicas do PSDB", ressaltou o líder do partido, deputado Juthay Magalhães Júnior (BA), um dos representantes do grupo de Serra no Congresso. Para ele, o programa não poderia apresentar Tasso, Serra e Paulo Renato como pré-candidatos, pois a antecipação do processo sucessório só serviria para enfraquecer o governo Fernando Henrique. Como a Executiva decidiu ampliar a participação de tucanos em cargos de destaque, o presidente da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), e o prefeito de Vitória, Luiz Paulo Vellozo de Lucas, gravaram hoje na hora do almoço. Diante das divergências internas provocadas pelo debate em torno da aparição ou não dos pré-candidatos, o PSDB não teve tempo para preparar as inserções que irão ao ar amanhã na televisão. Repetirá as exibidas ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.