Tasso cobra "união e desprendimento" do PSDB

Para o governador e pré-candidato tucano à Presidência da República, Tasso Jereissati (CE), está faltando união e desprendimento no PSDB. "O PFL tem sido muito competente e muito unido. E o PSDB, não", disse, em Fortaleza, logo após o término da reunião da executiva tucana, em Brasília. A cúpula não conseguiu chegar a um consenso sobre a participação ou não dos pré-candidatos da legenda na propaganda eleitoral de rádio e tevê, que vai ao ar semana que vem.Antes mesmo de saber o resultado da reunião, ele avaliou que a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL), está ganhando terreno e que o nome dela se consolida cada vez mais nas pesquisas. "Acho que se tiver que se consolidar, ela (Roseana) é uma candidata, e nós temos que abrir essa possibilidade. É o que existe. Fatos da vida", disse Tasso.Por outro lado, ele lembrou que ainda há tempo "para as coisas acontecerem". "E cada um tem de usar da sua capacidade de levar a sua mensagem para o Brasil", comentou. O tucano cearense está agendando uma palestra na Federação das Indústrias de Minas Gerais para o próximo dia 22, antes de embarcar para Cleveland (EUA), onde fará o check-up anual em suas pontes de safena. Ontem, ligou para o presidenciável e amigo, Ciro Gomes (PPS), para parabenizá-lo pelo aniversário. Perguntado se iria se encontrar com ele, Tasso respondeu com um enigmático "pode ser". Disse também que não leu as críticas lançadas por Ciro contra ele nos jornais. "Que críticas? Não vejo críticas, só vejo elogios", comentou. Perguntado sobre o que achou de seu desempenho nas últimas pesquisas de opinião, disse não ter ficado surpreso. Ele acredita que só com exposição maior é que poderá subir nas pesquisas. "E exposição maior hoje tem que ser por televisão", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.