Tasso ameaça obstruir o Senado contra 'fúria tributária'

Senador tucano diz que governo Lula é 'prepotente' e que obstrução pode ser necessária

Cida Fontes, da Agência Estado,

04 de janeiro de 2008 | 11h10

Enquanto o governo tentará a partir de fevereiro ampliar sua base política no Congresso, a oposição ameaça endurecer e obstruir as votações no Senado. "Se o governo continuar no ritmo que está, com a prepotência e com a mesma fúria tributária, nós vamos ser obrigados a ser mais resistentes do que nos cinco anos anteriores do governo Lula", afirmou nesta sexta-feira, 4, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Tasso acrescentou que a obstrução poderá ser necessária para que "o governo não jogue fora tudo que se ganhou nos últimos anos, em função de uma fúria tributária e de uma vontade de não fazer nada, de fazer populismo, aquilo que é mais fácil". Segundo o senador, a oposição está percebendo que o governo está indo pelo caminho completamente errado na economia, ao anunciar o pacote de medidas de aumento do IOF e da CSLL para compensar as perdas financeiras com o fim da CPMF.  "É um péssimo sinal. Acomodou-se naquilo que é mais fácil, quando aumenta impostos, ao invés de se preocupar em negociar uma Reforma Tributária e uma redução de despesa", prosseguiu o tucano, para quem o governo está "prepotente e arrogante". "Não reconhece aquilo que é óbvio, que está gastando demais, que a carga tributária está altíssima, e não abre mão de um desperdício de recursos, inédito nos últimos anos na política econômica brasileira, o que vai levar no futuro a conseqüências muito difíceis para o País." Na avaliação de Tasso Jereissati, a oposição não deveria ficar surpresa com as medidas, uma vez que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva havia declarado, em dezembro, que não teria aumento de carga tributária para compensar a CPMF. "Nós deveríamos estar acostumados com o fato de o presidente dizer uma coisa e no dia seguinte acontecer outra", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.