Tarso será "juiz da Constituição" se indicado ao Supremo

O ex-presidente do PT, Tarso Genro, garantiu hoje que será um "juiz da Constituição" e não um defensor dos interesses do governo federal caso seja nomeado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para integrar o Supremo Tribunal Federal. "Se eu for para o Supremo, não serei um juiz do presidente e sim um juiz da Constituição", disse Genro.Genro consta em uma lista que está sendo estudada pelo presidente Lula contendo nomes que poderão ocupar as vagas que serão abertas no Supremo Tribunal Federal com a aposentadoria do ministro Carlos Velloso e com as possíveis saídas dos ministros Nelson Jobim e Sepúlveda Pertence. A lista inclui nomes de petistas que, como Genro, possuem formação jurídica mas se voltaram para a vida política, entre eles Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP) e Sigmaringa Seixas (PT-DF).Genro disse que ainda não discutiu o assunto com o presidente Lula e insistiu que prefere aguardar até que a questão adquira uma forma mais concreta antes de dizer se aceitaria ou não a indicação. Sem descartar a possibilidade, ele ressaltou que nunca traçou uma meta pessoal nesse sentido. "Eu confesso que esta é uma idéia que nunca esteve nas minhas prioridades", afirmou Genro. "Mas também não me espanto, já que sou dessa área", acrescentou.O deputado federal Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP) disse hoje que se sente honrado com o fato de seu nome ter sido lembrado como uma alternativa para preencher uma das vagas no Supremo. O deputado insistiu que está é uma decisão que cabe exclusivamente ao presidente da República e que será tomada no momento oportuno.Greenhalgh defendeu, no entanto, que caso seu nome esteja de fato na lista dos mais cotados, a motivação certamente não é partidária. "Não acho que meu nome esteja sendo lembrado pelo fato de eu ser um deputado do PT", afirmou. "Eu acho que meu nome está sendo lembrado pelo trabalho que eu fiz nos tribunais".O deputado federal Sigmaringa Seixas (PT-DF) descartou uma possível indicação de seu nome. "Isso é especulação, não sou candidato, o presidente Lula não vai me indicar", assegurou. "Não tenho interesse, o presidente não está pensando nisso. É tudo especulação", insistiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.