Tarso: Protógenes pode ter cometido 'irregularidades'

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou hoje que o delegado Protógenes Queiroz, "pode ter cometido graves irregularidades" à frente da Operação Satiagraha, que prendeu o banqueiro Daniel Dantas e mais 14 pessoas em julho do ano passado. Em entrevista no Clube do Exército, após receber medalha de mérito em segurança pública, Genro disse que um inquérito e uma sindicância na Polícia Federal já levantaram indícios de ilegalidades atribuídas ao delegado e que o caso não ficará impune. "Enquanto eu estiver no Ministério da Justiça e o Luiz Fernando (Corrêa) for diretor da PF, não tem contemplação com quem age fora da regra", avisou.O resultado das investigações será divulgado ainda este mês, segundo informou a Direção-Geral da PF. O inquérito pode resultar em processo criminal contra Protógenes por prevaricação, vazamento de dados sigilosos e abuso de poder. Entre as irregularidades, segundo reportagem da Revista Veja desta semana, estariam supostos grampos ilegais contra ministros, parlamentares e autoridades. Já a sindicância pode levar à abertura de processo disciplinar, cujas penas vão de advertência à demissão a bem do serviço público. Genro explicou que Protógenes foi afastado do comando da Satiagraha justamente devido a esses supostos desvios. O ministro garantiu que a instituição não perdeu o rumo e se manterá firme no combate ao crime organizado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.