Tarso: ''PF é motivo de orgulho''

Ministro diz que era da impunidade ?está acabando?

Vannildo Mendes e Vera Rosa, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

11 de julho de 2008 | 00h00

Em meio ao conflito judicial envolvendo o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, e o juiz Fausto Martin De Sanctis, da 6ª Vara da Justiça Federal de São Paulo, o ministro Tarso Genro (Justiça) fez ontem, em tom de desagravo, rasgados elogios à Polícia Federal. Disse que a PF é motivo de "orgulho", uma polícia "republicana e ética", que atua "dentro da legalidade". Ele acrescentou que a era da impunidade "está acabando", que o combate à corrupção "prosseguirá firme" e que "não há mais intocáveis" no País.Tarso não escondeu sua satisfação com a segunda prisão do banqueiro Daniel Dantas e disse que a nova decisão do juiz De Sanctis não entrou em choque com o habeas-corpus dado por Mendes. O presidente do STF tem criticado o lado "espetacular" das ações da PF, chegando a dizer que ela tem atuação "fascista" e vaza informações como se, em vez de uma instituição do Estado, fosse uma organização de "gângsteres"."Não se trata de um choque entre a primeira instância e o Supremo nem de desrespeito ao ministro Gilmar", afirmou Tarso. "A decisão de prender Daniel Dantas não foi descabida nem antes nem agora", completou o ministro. No entendimento dele, houve "motivação nova" para decretar a prisão preventiva de Dantas. "O juiz alinhou motivos bastante fortes", avaliou, acrescentando que vê os fatos de forma "desapaixonada". Tarso considerou "pedagógica" a polêmica em torno da conveniência do habeas-corpus e da prisão de Dantas. "Esse debate mostra que no País não há nenhum sistema fechado, totalitário, nem uma visão soviética do procedimento inquisitório penal", afirmou. Irônico, desafiou o advogado de Dantas, Nélio Machado, a apresentar as provas que diz ter contra o governo e o PT.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.