Tarso Genro pede paciência a integrantes do CDES

O ministro Tarso Genro, do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), abriu nesta segunda-feira a primeira reunião plenária do Grupo Temático "Fundamentos Estratégicos para o Desenvolvimento", pedindo paciência aos 50 conselheiros que participam do primeiro encontro deliberativo do grupo. Genro reconheceu que a diversidade de idéias do Conselho é muito grande e apenas com um trabalho de unidade de médio e longo prazos será possível ao País realizar um processo de transição econômica sustentável. O ministro afirmou que a criação de um pacto social é fundamental para o desenvolvimento econômico e social do País, mas reconheceu que a construção desse acordo é complexa. "Mas se forjarmos uma unidade mínima, estabeleceremos as condições para colocar o Brasil no patamar do desenvolvimento." Ele afirmou que o papel do Conselho não é fazer um programa de governo, mas definir os elementos centrais que cada setor da sociedade necessita para se desenvolver e inserir o Brasil na economia global.Tarso Genro disse que já foi procurado pelos governos de Equador, Bolívia, Irã, Argentina e México para fornecer a esses países a fórmula do Conselho que une vários ramos da sociedade civil e do governo em torno do presidente.Na reunião de hoje ganham destaque a definição de um padrão de financiamento e a adoção de políticas emergenciais de geração de renda. "As condições para a retomada do crescimento econômico passam pela preservação da estabilidade macroeconômica e pela criação de políticas combinadas de estímulo ao investimento e a ampliação do mercado".Estão sendo discutidos o controle da inflação, do endividamento público, redução da vulnerabilidade externa, projetos emergenciais de geração de renda e financiamento/investimento. A discussão dessa primeira reunião, segundo o ministro, já inclui cláusulas iniciais para um novo contrato social. A idéia é produzir um consenso mínimo em torno da agenda macroeconômica, formulando enunciados básicos para orientar as discussões posteriores.O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) é formado por 90 representantes da sociedade civil, 12 ministros, e é presidido pelo presidente da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.