Tarso Genro diz que MST responderá por danos em fazenda

Ministro do Desenvolvimento Agrário já havia dito que a atitude do MST foi "grotesca" e "injustificável"

AE, Agência Estado

08 de outubro de 2009 | 10h03

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou que o Brasil tem leis contra destruição de propriedades e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) responderá criminalmente pelos danos à Fazenda Santo Henrique. "O País tem lei, tem Constituição, e providências serão tomadas", disse. "Ninguém está acima da lei." Tarso não detalhou quais medidas são cabíveis, mas afirmou que a responsabilidade pelo problema é do ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel.

 

"Ele vem conduzindo muito bem o caso e apoio tudo que ele falou a respeito." O ministro do Desenvolvimento Agrário já havia dito que a atitude do MST foi "grotesca" e "injustificável", afirmando que não ficará impune.

 

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), classificou a invasão de "absurda" e "lamentável". "É tão absurdo que até o presidente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) condenou", disse ele, referindo-se a Rolf Hackbart, que se declarou "indignado" com a destruição de laranjais da Cutrale pelo MST.

 

"Não precisa dizer mais nada. A gente sabe que Incra e MST andam, em geral, juntos. Para até o presidente do Incra ter atacado é uma demonstração do absurdo que foi feito", acrescentou Serra. "Destruição de patrimônio, crime ambiental. Uma ação muito além do lamentável." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
MSTfazendaTarso GenroCutraleSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.