Tarso Genro decreta luto oficial de 3 dias no RS

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), decretou luto oficial de três dias no Estado pela morte do candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos. "Estamos profundamente impactados com esta perda", disse Tarso em breve coletiva na tarde desta quarta-feira, 13, na capital gaúcha. "É uma dor para toda a nação brasileira, uma tragédia familiar e política muito grande para o nosso País."

GABRIELA LARA, Estadão Conteúdo

13 de agosto de 2014 | 16h13

Tarso, que concorre à reeleição, estava em um almoço de campanha na cidade de Charqueadas, na região metropolitana de Porto Alegre, quando soube do acidente que provocou a morte do ex-governador de Pernambuco. Ele suspendeu a agenda e voltou para o Palácio Piratini. De acordo com a assessoria de imprensa do governador, a campanha ficará suspensa hoje e amanhã.

"Num momento como este nós como candidatos suspendemos nossa campanha e transmitimos nossa solidariedade a todas as pessoas do grupo político do Eduardo Campos, que foi, como todos sabem, um grande brasileiro", falou Tarso.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, se encontraria com o governador na tarde de hoje na capital gaúcha. Ele já havia saído de Brasília quando foi avisado da morte de Campos e, por isso, cancelou a visita a Porto Alegre. Tarso não informou se comparecerá ao velório do ex-governador de Pernambuco.

Campos esteve no Rio Grande do Sul pela última vez há cerca de duas semanas, em agenda de campanha ao lado da candidata a vice, Marina Silva. Eles permaneceram um dia em Porto Alegre e outro no interior, nas cidades de Pelotas e Rio Grande.

Lindbergh Farias

O candidato do PT ao governo do Rio, senador Lindbergh Farias, divulgou nota de pesar pela morte de Eduardo Campos. O PSB faz parte da coligação de Lindbergh, com o deputado Romário candidato ao Senado. "Eu estou profundamente chocado com a morte de Eduardo Campos. Perco, antes de tudo, um amigo. Manifesto a minha total solidariedade a sua mulher, Renata, seus filhos e familiares. Estendo meus sentimentos às famílias das demais vítimas dessa tragédia. Eduardo sempre foi um pai de família exemplar e um homem público notável. Jovem, dinâmico e preparado, ele fará muita falta ao Brasil", diz a nota de Lindbergh. Colaborou Luciana Nunes Leal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.